Assinatura RSS

Ímpar.

Publicado em

Tirei os óculos pra te enxergar melhor.
Mais perto.

Eu não te esperava tão cinza, tão cheio de cicatrizes que você diz que foi o tempo que fez.

Tento fazer as minhas razões transbordarem pelos olhos, ao teu encontro. Elas só sabem se perder no caminho, porque já não são minhas. 

Sempre insisto em esquecer tudo que eu queria te dizer.
Então meu discurso é o silêncio, que fala mais do que muitas e tantas poesias e vinhos e cigarros baratos.

Visto os meus argumentos mais delicados e sinceros, cheirando a guardado, esperando que sejam minha armadura nessa guerra inventada.

Sei que voltarei aos trapos. É por isso que se chama murro em ponta de faca, não é? 

Por fim, suspiro e digo “tudo bem, tudo bem”, mera repetição das únicas palavras que me recordo. Desaprendi as palavras, as ideias, as razões.

Ficou só esse coração pesado, batendo nos segundos ímpares de um compasso qualquer.

Anúncios

Sobre Amanda

Atriz da Cia CemCulpas e escritora de meia tigela.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: